gtag('set', {'user_id': 'UA-182970361-1'});
Não Perca!

Série A abrangência do turismo

Série Bibliotecas

Esportes

Fichas técnicas

segunda-feira, 9 de novembro de 2020

Bibliotecas universitárias - A estabilidade cultural à partir da idade média

 

Sobborne

Toda e qualquer universidade que se preze, tem uma biblioteca. E muito mais que isso, as bibliotecas públicas adquiram ao longo do tempo, a mesma função. Ou seja, não ser apenas a guardiã dos livros e do conhecimento, dando acesso ao aprendizado e a cultura. A bibliotecas escolares são as primeiras dos quais as crianças tem contato. E até a década de 90, antes da popularização da internet, a principal fonte de pesquisa escolar.

Essa instituição se consolidou como uma fonte de perpetuação do ensino através da função social que as universidades exerceram na idade média, durante a formação do continente europeu, países, territórios, feudos. As bibliotecas podem adquirir várias fontes de doutrina, de acordo com os princípios que queiram adotar. Algumas podem ser mais inclinadas a literatura, outros à ciência ou o direito. Mas é preciso passar pela origem da educação europeia para entender como o aprendizado via escrita, se consolidou como forma de padronização cultural.


A origem da universidade, foi na Grécia, na época chamada de Liceu, onde o propósito era descobrir origem e a verdade das coisas. Era um lugar onde se efetivamente se produzia o conhecimento. E apesar de muitos do que foi escrito ter se perdido no caminho pelos incêndios, o conhecimento era repassado essencialmente de forma verbal, pelos discursos e debates. Na Europa e especialmente na idade média, as universidades adquiriram um outro propósito dentro de um novo contexto.

Vários eventos como a reforma gregoriana e a consolidação política da igreja, transformaram a Europa em feudos divididos entre famílias que o mantinham sobre a sua benção, formando a aristocracia europeia. Grandes detentores de terras, os bispos e a monarquia criando cidades, comércio e estabelecendo leis e domínios. E a educação tem o seu papel fundamental em consolidar uma nova cultura e uma nova classe que estava se formado. Três tipos de escolas foram formados: para a formação dos padres, o ensino fundamentalmente escrito dedicado as elites e o ensino oral popular e vulgar dado aos mais pobres.

O ensino das elites era divididos da seguinte forma: 3 disciplinas inferiores (dialética, gramática e retórica). Eram matérias ligadas ao raciocínio, uma vez que era obrigação do homem entender sobre as leis e o direito. E 4 disciplinas superiores (aritmética, geometria, música e astronomia). Além das artes.


Galeria de laboratório de geologia

Duas figuras foram fundamentais para formar a base de ensino como conhecemos hoje. Aristóteles, filósofo grego de foi o mestre de Alexandre Magno, e que também fundou a base do conservadorismo, como algumas suposições de que a terra era plana, a partir de uma citação no livro 'Do céu' em que compara algumas teorias sobre a esfericidade da terra.

 E Santo Agostinho, um padre que se dedicou a pesquisar e estudar algumas áreas de conhecimento como biologia, que aprendeu com os livros dentro do monastério. Esses sãos os fundamentos do pensamento conservador, como o conhecemos até hoje, do qual passou pelo crivo e censura da igreja.

Enquanto isso, as classes populares tinham de seus mestres e professores, o aprendizado de técnicas de produção artesanal, como por exemplo a solda do aço, a fabricação de escudos, espadas, utensílios, entre outros.


A primeira biblioteca universitária surgiu na Inglaterra, com a criação do primeiro catálogo unificado que continha nomes e obras dos acervos dos mosteiros e dos conventos. Nos séculos XII e XV era caro reproduzir livros para estudar e o empréstimo simplificava o processo. Já a universidade de Paris, Sourbone, recebeu doações de uma biblioteca particular de um nobre instruído chamado sr. Sourbon.

A Universidade de Sourbone existe até hoje e é a segunda universidade mais antiga da Europa. Está localizado na Rue des Écoles, 75005 Paris, França,  e tem 1200 anos, desde o período feudal. A faculdade contem 3 cursos: medicina; letras; e ciência e engenharia. A biblioteca em si, é direcionada a estudantes dos cursos de graduação e mestrado,mas todo o espaço é aberto a visitas.

Basta fazer a inscrição através do email: visites.sorbonne@ac-paris.fr , com o nome das pessoas e a data. A visita guiada é paga, entre £7 e £15 euros para grupos entre 10 e 30 pessoas. Em 1h 30 min , exclusivamente em francês (mas que pode haver um tradutor para outros idiomas) é contada a história e importância desse local.

Biblioteca de Sobborne

Mais informações : http://www.sorbonne.fr/la-sorbonne/visiter-la-sorbonne/visite-sorbonne-palais-academique/


Também é possível fazer cursos para quem gostaria de passar mais tempo nessa cidade. Informações : http://www.sorbonne.fr/la-sorbonne/visiter-la-sorbonne/visite-sorbonne-palais-academique/


É possível fazer um tour na biblioteca aqui: http://www.bis-sorbonne.fr/biu/visite/virtualtour.html?lang=fr


segunda-feira, 5 de outubro de 2020

A biblioteca do Vaticano - O lugar para desvendar todos os mistérios da humanidade







Para conhecer nosso próximo destino rumo a biblioteca, é preciso acompanhar o desenvolvimento  da estrutura eclesiástica que se formal em torno do papel dado ao conhecimento e a religião.

Desde o início das civilizações até a idade média, a posse de terras, sempre esteve relacionado com força e poder. A capacidade de conquistar territórios e construir impérios, juntar ouro e riquezas foi o que construiu a classe aristocrática. Em sociedade politeístas ( onde havia a adoração de vários deuses), os lideres e reis eram vistos como entidades divinas que representavam ou que em si eram tidos como deuses. Essa relação de autoridade divina, tornou esses líderes como figuras que batizada por uma espécie de força superior predestinada , estava acima de todos os homens e por isso não só respeitadas, como adoradas. Nascia da religião, uma fonte de domínios e todos quereriam ser abençoado pelos deuses. Foi assim  no Egito. Foi assim com Alexandre Magno, O grande.

A investigação desses deuses vinham do mito, do conhecimento e da experiência. E quem podia ter acesso ao desconhecido, teria o poder sobre quem tem poder e teria tudo. Assim se formou e cresceu o clérigo. Que ao contrário do que aconteceu com Magno, que via na cultura como uma grande porta de entrada para conquistar outros povos, essa classe social se organizou para  obter o monopólio da crença.

Até ter se transformado em religião oficial do império de Roma por Teodonísio no ano 379 (sec IV), a crença religiosa de uma única divindade pela formação da igreja católica apostólica romana, teve um longo caminho a percorrer. Inicialmente no ano 1( que é denominado assim para marcar a data de     nascimento de Jesus, o Cristo), a comunidade de seguidores de Jesus, sofreu perseguição pela lei judaica, o que os forçou a separar a crença do judaísmo e fugindo de Jerusalém, se 

Teluriano

estabeleceram primeiro em Antioquia na Síria, no oriente. Lá ,na Síria surgiu um dos primeiros autores cristãos a produzir uma obra literária. É atribuído a Telúriano a organização da teologia da igreja antiga. Filho de um centurião do comando romano que morava na província romana da Fenísia (cidade do Libano), o conjunto de obra que sobreviveu ao tempo foram os escritos apologéticos, escritos polémicos e escritos preliminares. Ele viveu no século 2, no meio de grandes incursões contra, a na época seita cristã, partindo de imperadores, portanto por motivos socio-político nos seguintes períodos:











terça-feira, 8 de setembro de 2020

A BIBLIOTECA DE ALEXANDRIA

 


A nossa viagem cultural começa por ALEXANDRIA, cidade portuária, situada ao norte do Egito fundada por ALEXANDRE MAGNO, O GRANDE, que fez dela a sua capital, enquanto conquistava o grande império da Macedônia.



Alexandre O grande, como é conhecido, assumiu o trono em lugar de seu pai e comando do exército. Ao seu comando, construiu um império conquistando território em toda península balcânica no perímetro do mar mediterrâneo. Mas para além de uma dominação econômica e política, se dedicou a uma dominação cultural, difundindo o helenismo, que é a fusão da cultura grega com as dos países que ele conquistava. Ele era pupilo de Aristóteles, fundador do Liceu, o primeiro sistema de universidade para a junção de um conhecimento combinado e também um entusiasta politeísta, consultando as tradições místicas para consultar os deuses através dos seus oráculos. Ele acreditava ser a própria encarnação de um deus, que o dava invencibilidade nas batalhas.


Quando Alexandre morreu, o seu reinado foi divido em duas linhagens de generais: As dos Ptolomeu I que ficou com a parte sul do império, incluindo o Egito e os Seleucos que ficaram com a parte norte. Com a morte de Alexandre, também terminou o período helenístico que representava a ode pelo politeísmo, o sincretismo cultural e começou o predomínio da era medieval que veio junto com a era cristã. Ou seja, a crença em um único deus, o monopólio do conhecimento pela igreja e as grandes batalhas e cruzadas medievais por território.


Imagine que os Ptolomeus que eram mais inclinados ao modelo de MAGNO e atribuíam as conquistas a um conjunto deuses, e absorvia a cultura de outros povos, enquanto os Seleucos estavam mais imbuídos pela era medieval, em que a partir daí construiu toda a Europa. E aqui é possível conjecturar como o declínio do helenismo, com um pano de fundo político culminou na destruição do que foi a primeira e maior biblioteca do mundo. Com um acervo de quase 1 milhão de livros ou pergaminhos ,sua fundação foi atribuída a Ptolomeu I ,em Alexandria, que como era uma cidade portuária, obrigava todos os navios a permitir a transcrição dos pergaminhos que viajavam com eles. A biblioteca, que também podia ser um templo que contemplavam vários deuses, passou por vários processos de degradação, que destruíram grande parte do acervo original mas que é incerto como isso aconteceu.




Por fim, em 1991, com o patrocínio da UNESCO, projetado por uma equipe norueguesa e o então presidente do Egito, a biblioteca foi reconstruída e hoje abriga um centro cultural, junto de um acervo por volta de 2 milhões de livros.

Ela fica localizada a 17 minutos do aeroporto internacional de Alexandria, em um quarteirão que abriga universidade de direito e artes, a Escolástica de Alexandrina e um Planetário Science center, além de alguns monumentos e pontos turísticos, próximos.


Saiba mais em: Como chegar em Alexandria

Como chegar : BIBLIOTECA DE ALEXANDRIA, EGITO

 

Quando em funcionamento, a biblioteca mantém uma agenda de atividades, com exposições permanentes e temporária, museus, exposições, palestras, visita guiada para grupos com horário marcado para grupos, organizações, agência de viagens, ou individual. Cada momento desse tem uma taxa de entrada, valor simbólico segundo pesquisas, mas que não está acessível no momento.





Algumas programações permanentes são :


Culturama show 

 Que dura entre 15 e 20 min, em inglês ou árabe(depende do horário), que apresenta 5000 mil anos de história e herança Egípcia, até aos dias de hoje.


O livro dos mortos – 

Sobre o que os egípcios acreditavam que encontrariam no outro mundo. Considerado um dos primeiros papiros em hieógrafo. ( exige reserva antecipada)


Children’s show – 

Uma apresentação para crianças de 4 à 9 anos sobre a história de Alexandria e uma biblioteca infantil


Family visit program – 

Que é um pacote que inclui visita guiada pelos museus, manuscritos, biblioteca infantil, antiguidade, show, entre outros.



Lá tem também um terminal de informações turísticas e 3 livrarias localizadas no complexo de Alexandria:

O Ba bookshop ( loja de livros) na entrada da biblioteca de Alexandria, com uma variedade de produtos e livros que promovem essa biblioteca, em vários idiomas.


O Planetshop – no Planetário science center, focado em livros educacionais para crianças à partir dos 5 anos


O BA baazar and bookshop – Localizada na rua Port said , com suveniers, produtos e acessórios, além de livros em árabe e em outras línguas.




Escolástica de Alexandria


 





Planetário science center (o prédio e forma de meia-lua)


   


Biblioteca de Alexandria


   


Biblioteca de Alexandria – vista por fora


   

 Mapa


 



Ela fica aberta à partir das 10hs, mas as programações seguem horários específicos

O endereço é:

Corniche
Alexandria, Egypt
03 4839999
www.bibalex.org 


domingo, 23 de agosto de 2020

Leitores de primeira viagem começam por onde?

 

A leitura tem um papel importante em nossas vidas. Quando crianças, somos alfabetizados para aprender a reconhecer as letras e formar palavras. Mas a compreensão especialmente de textos mais complexos, leva um tempo. Quando uma pessoa lê um texto simples e não consegue entender o significado, é chamado de analfabeto funcional. E por que isso importa? As palavras têm seu significado intrínseco. Uma roda é uma roda, uma mesa é uma mesa. E quanto ao mundo? Podemos classificá-los como preto e branco? Não. Os artifícios da linguagem tem suas nuances para servir a uma função social. Quem ia gostar de encarar uma guerra gratuita porque uma pessoa não gostou da opinião? E quando se trata de uma sociedade os riscos se amplificam. São disputas políticas, questões econômicas, status que impedem que certos tipos de conhecimento fluam sem barreiras.



O leitor funcional é aquele que tem o conhecimento linguístico para compreender o sentido das palavras dentro de um contexto adverso. Para isso, além do domínio da linguagem, é preciso ter um portifólio de conhecimento que permite as pessoas, interpretar a intenção do escritor. Reconhecer os papeis sociais dentro de um contexto para formar uma opinião sobre o assunto.


Assim começa a importância da leitura em nosso cotidiano. E especificamente os livros com histórias que nos causam emoção, que façam reconhecer sentimentos, que falem sobre a conduta humana e suas consequências. Isso enche nosso vocabulário emocional para uma comunicação e identificação mais eficaz. Então se o seu objetivo é ler os livros que são best sellers porque todo mundo lê ou se quer ler muitas páginas para competir com outros leitores, que tal algumas dicas para que possa começar à partir de um ponto de vista distinto?


A primeira dica é escolha um tema que te interessa. 







Para isso basta procurar por gêneros literários. Existe uma variedade desde as mais simples como poesia, até livros grandes e complexos. Quem quer começar por livros curtos ou rápidos, pode apostar em poesia e crônicas, também indicado caso esteja conhecendo a cultura local de um outro lugar.


A segundo dica é a famosa a regra das 20 páginas. 









O conceito é simples. Para saber se um livro irá se adequar ao seu gosto, é possível descobrir seu grau de interesse pelas primeiras 20 páginas. Não se force a ler um livro que você não se sentiu engajado, enquanto poderia aproveitar uma melhor companhia, mesmo que se trate de um livro famoso. Você não é obrigado a gostar.



A terceira dica é aproveitar os lugares para fazer uma busca


As livrarias físicas são espaços preparados para que as pessoas leiam e folhei os livros, inclusive se o cliente estiver disposto a ler as 20 primeiras páginas, então não se acanhe de interagir com o produto, só não pode de rasurar.


Além desses, os sebos são quase um mercado paralelo dos livros, lá você encontra tipos usados antigos ou descartado pela própria editora, sempre tem uma pérola ou outra nesses lugares. Normalmente como são edições mais antigas, costumam ser mais baratos, com um valor bem abaixo do mercado. O site estante virtual agrega tanto pessoas como empresas, inclusive, sebos para venda ou troca de livros usados. Também consta como um suvenir de viagem válido.




E para quem prefere as versões mais modernas afim evitar ficar acumulando papel, os ebooks são o modelo ideal para ipad e kinddle e até para ler no celular. O domínio público, é um site mantido pelo governo do Brasil onde estão alguns livros clássicos a disposição, tanto em português quanto em outros idiomas, então é possível explorar livros de outros países. Para conhecer o acervo, é fácil. Na busca, coloque o tipo (texto) , o gênero ( por exemplo: literatura), escolha o idioma e pressione o botão ‘buscar’. O site mostrará todo o acervo contido nele por assunto, disponível para fazer o download. 

Pronto! Já sabe pode onde começar a sua nova biblioteca particular.

Indicações

Estante virtual: https://www.estantevirtual.com.br/

Indicações de sebos por cidade: https://www.estantevirtual.com.br/garimpepor/sebos-e-livreiros

Domínio público: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/PesquisaObraForm.do


.

 
Copyright © 2014 Portal Carpe Vita. Designed by OddThemes